Após 15 anos, System of a Down lança duas músicas para falar sobre conflito armado

A partir da divulgação dos lançamentos, a banda pede doações para auxiliar os afetados dos ataques na Artsakh e na Armênia

Após 15 anos sem lançar novas músicas, a banda System of a Down lançou, nessa sexta-feira (6), duas novas músicas, com o objetivo de chamar a atenção dos fãs para o conflito armado entre o Azerbaijão e a Armênia.

Por meio de publicações feitas através dos perfis pessoais dos quatro integrantes e do próprio perfil da banda, a SOAD anuncia o lançamentos das faixas “Protect the Land” e “Genocidal Humanoidz” – “ambas falam de uma terrível e séria guerra sendo perpetrada na nossa pátria cultural de Artsakh e da Armênia”. A banda pede doações para auxiliar os afetados dos conflitos.

“Nós, enquanto System Of A Down, acabamos de lançar novas músicas pela primeira vez em 15 anos. A hora de fazer isso é agora, já que juntos, nós quatro temos algo extremamente importante a dizer como uma voz unificada. Essas duas músicas, ‘Protect the Land’ e ‘Genocidal Humanoidz’, falam de uma terrível e séria guerra sendo perpetrada na nossa pátria cultural de Artsakh e da Armênia”, escreveu o grupo, antes de explicar sobre o conflito.

Confira o comunicado na íntegra e traduzido:

“Em 27 de setembro, as forças combinadas do Azerbaijão e da Turquia (ao lado de terroristas do ISIS da Síria) atacaram a República de Nagorno-Karabakh, que nós como armênios chamamos de Artsakh. Ao longo do último mês, civis jovens e velhos foram acordados dia e noite por visões assustadores e sons de ataques de foguetes, bombas caindo, mísseis, drones e ataques terroristas. Eles tiveram de transformar abrigos temporários em santuários, tentando evitar a queda de bombas fora da lei chovendo em suas ruas e casas, hospitais e lugares de adoração. E por quê?.”

“Porque mais de 30 anos atrás, em 1988, os armênios de Nagorno-Karabakh (que na época era uma Oblast Autônoma dentro da União Soviética), estavam cansados de serem tratados como cidadãos de segunda classe e decidiram declarar sua merecida independência da República Soviética Socialista do Azerbaijão cujas bordas engoliam as suas. Isso eventualmente levou a uma guerra de auto-determinação pelos armênios em Karabakh contra o Azerbaijão que terminou com um cessar-fogo em 1994, com armênios retendo controle de suas terras natais ancestrais e mantendo a sua independência até o presente. Nosso povo vive ali por milênios, e para a maioria das famílias ali, é a única casa que eles e seus antecessores jamais conheceram. Eles só querem viver em paz como têm feito há séculos.”

“Há uma necessidade imediata de cidadãos globais em apelar a seus respectivos governos a não apenas condenar as ações desse regime corrupto, mas também insistir que os líderes mundiais ajam com urgência para trazer paz à região e merecidamente reconhecer Artsakh como a nação independente que é.”

“Mais importante e urgente ainda, nós humildemente imploramos que você doe, pequenas ou grandes quantias, para fornecer ajuda para necessidades e suprimentos básicos para aqueles afetados adversamente com o que são cada vez mais relatos de crimes contra a humanidade”, pede o grupo.

“Imaginamos que para muitos de vocês, há maneiras mais convenientes que vocês preferem para ouvir música, então considerem a oportunidade de fazer o download dessas músicas como um ato de caridade acima de tudo.” A SOAD disponibilizou o link para o download e as doações em seu site oficial.

Confira as músicas inéditas:

 

Em outubro deste ano, o G1 entrevistou o vocalista da banda, Serj Tankian, que comentou acerca dos conflitos armados que estão ocorrendo.

“Eu acho que o mundo inteiro está muito ocupado com a Covid e tentando cuidar do seu próprio povo, com as eleições nos Estados Unidos e aqui na Nova Zelândia, onde estou agora. Todo mundo tem suas próprias questões, recessão econômica, desemprego… Tem muita coisa acontecendo no mundo e todos estão realmente se fechando. Mas eu não acredito que foi por acaso que Azerbaijão e Turquia escolheram o momento em que o mundo está sofrendo – inclusive a Armênia, que tem uma grande quantidade de casos, para fazer esse ataque. É realmente muito brutal quando você pensa que começaram uma guerra durante uma pandemia. É muito brutal”, disse o músico.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar