Musical NAU promove bate-papo sobre a fundação do Brasil neste sábado

O projeto foi selecionado pelo edital Fábrica de Musicais - Ano II, da Fundação Gregório de Mattos

A quinta edição do projeto Noites Navegantes, promovido pelo musical NAU, promove neste sábado (21), às 19h, bate-papo e performances sobre a ideia de fundação do Brasil. Com mediação dos diretores do  NAU, Daniel Arcades e Thiago Romero, a atividade terá a participação da liderança indígena e ambiental Sônia Guajajara e do multiartista Caboclo de Cobre, e poderá ser acompanhada pelo link www.youtube.com/nauprojeto.

A discussão será baseada no conceito de Marilena Chauí, que defende que o território brasileiro não estava à espera dos portugueses para ser descoberto. A ideia do projeto é levar para a internet discussões com especialistas, personalidades e artistas sobre temas que fazem parte da ideia do espetáculo.

O musical NAU foi selecionado pelo edital Fábrica de Musicais – Ano II, da Fundação Gregório de Mattos (FGM). O espetáculo está em fase de montagem e narra a história de personagens historicamente ignorados da construção social brasileira, que voltam ao país em uma barca com milhares de espíritos para um acerto de contas.

Participantes – Sônia Guajajara é do povo Guajajara/Tentehar, que habita nas matas da Terra Indígena Arariboia, no Maranhão. Filha de pais analfabetos, aos 15 anos recebeu ajuda da Funai para cursar o ensino médio em Minas Gerais. Depois, voltou para o Maranhão onde se formou em Letras e Enfermagem e fez pós-graduação em Educação Especial.

Sônia começou a militância indígena e ambiental ainda na juventude, nos movimentos de base, e logo chegou ao Congresso Nacional. Foi também linha de frente contra uma série de projetos que retiravam direitos e ameaçavam os povos indígenas e o meio ambiente. Em poucos anos, ela ganhou projeção internacional pela luta travada em nome dos direitos dos povos originários.

Caboclo de Cobre é um dos poucos artistas de pesquisa na Bahia a se debruçar sobre o universo ameríndio e caboclo. Coordenador do Aldeia Coletivo, é também produtor, diretor, escritor, ator, iluminador, arte-educador, coordenador técnico, preparador e coreógrafo de lutas para cinema. Coleciona mais de 150 obras no currículo, atuando em espetáculos como “Namíbia Não!”, “Das Coisas Dessa Vida”, “Campo de Batalha” e “Tia Má Com a Língua Solta”.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar